Você sabe o que foi a geração beat? Em poucas palavras, escritores e poetas norte-americanos, no final dos anos 50 e começo dos 60, ficaram conhecidos como beat generation. Dentro do movimento de contracultura, esses autores foram o embrião do movimento hippie, promovendo com quê transgressor, questionamentos dos valores sociais. As obras, que foram inovadores tanto no quesito linguagem como de conteúdo e influenciaram incontáveis leitores e vários outros artistas nas diferentes vertentes da arte, deixando um legado para as manifestações da contracultura que vieram depois.

Interessante não é? Depois de dada a introdução, prepare-se: uma mostra cinematográfica sobre a Geração Beat está chegando na cidade.Com 34 filmes, a maioria inédito no Brasil, a mostra ocupa o cinema do CCBB Brasília para mostrar, em curtas, médias e longas-metragens, como a revolução estética e comportamental operada por esses escritores foi traduzida pela cinema.

love always carolynA programação vai de 13 de julho a 1° de agosto e conta com adaptações de algumas da obras de maior destaque do movimento. Documentários sobre obras e autores, além de filmes que o enredo dialoga diretamente com essa literatura, que se destacou pela escrita cheia de gírias, espontânea e visceral com protagonistas prostitutas, viciados, andarilhos etc. A essência dos beats era ir contra o ‘american way of life’, pregando álcool, sexo livre e jazz. A proposta era uma vida menos materialistas e mais espiritualizada.

Na mostra, que conta com curadoria da produtora de cinema Roberta Sauerbronn, poderão ser conferidos desde documentários inéditos no Brasil, como Com amor, Carolyn (2011) e American road (2013), até as versões cinematográficas dos clássicos Almoço nu (Mistérios e paixões, de 1991, assinado por David Cronenberg) e On the road(Na estrada, de 2012, dirigido por Walter Salles). Também na programação estão curiosidades como o clássico suecoHäxan – A feitiçaria através dos tempos (filme de 1922 que, relançado em 1968, ganhou pitoresca narração de William Burroughs) e uma seleção de curtas pouco conhecidos do premiado diretor Gus Van Sant, cineasta cuja filmografia está repleta de anti-heróis beat.

Como de praxe, os ingressos custam R$ 5 a meia entrada. Além de todos os filmes, a programação conta com uma master class sobre os principais nomes da Beat Generationministrada por Claudio Willer, poeta, ensaísta, crítico e tradutor paulistano responsável pela tradução para o português de livros de, entre outros, Lautréamont, Antonin Artaud e dos beats Allen Ginsberg e Jack Kerouac. O aulão vai rolar já no dia 13!

Viagem mágica

PROGRAMAÇÃO

11 de julho (segunda-feira)

18h30: Chappaqua – Almas entorpecidas (Chappaqua) (82 min)

20h20: Mistérios e paixões (Naked lunch) (115 min)

13 de julho (quarta-feira)

18h: Master class com Claudio Willer (120 min)

20h30: Na estrada (On the road) (137 min)

14 de julho (quinta-feira)

19h: Próxima parada: bairro boêmio (Next stop: Greenwich Village) (111 min)

21h: Versos de um crime (Kill your darlings) (104 min)

15 de julho (sexta-feira)

19h: Os beatniks (Heart beat) (110 min)

21h: Com amor, Carolyn (Love always, Carolyn) (70 min)

16 de julho (sábado)

17h: Curtas e médias 1 (90 min)

19h: One fast move or I’m gone: Kerouac’s Big Sur (98 min)

21h: Big Sur (81 min)

17 de julho (domingo)

17h: Curtas e médias 2 (89 min)

19h: American road (108 min)

21h: Jack Kerouac: rei dos beats (Jack Kerouac: king of the beats) (78 min)

18 de julho (segunda-feira)

19h: Häxan – a feitiçaria através dos tempos (Häxan) (76 min)

21h: Uncle Howard (96 min)

20 de julho (quarta-feira)

19h: Burroughs: the movie (90 min)

21h: William S Burroughs: um retrato íntimo (William S Burroughs: a man within) (87 min)

21 de julho

19h: Uncle Howard (96 min)

21h: Me and my brother (91 min)

22 de julho (sexta-feira)

19h: Curtas e médias 3 (82 min)

21h: Wild combination: a portrait of Arthur Russell (71 min)

23 de julho (sábado)

16h: Viagem mágica (Magic trip: Ken Kesey’s search for a kool place) (107 min)

24 de julho (domingo)

16h: Drugstore cowboy (102 min)

25 de julho (segunda-feira)

19h: Big Sur (81 min)

21h: One fast move or I’m gone: Kerouac’s Big Sur (98 min)

27 de julho (quarta-feira)

19h: Os beatniks (Heart beat) (110 min)

21h: Com amor, Carolyn (Love always, Carolyn) (70 min)

28 de julho (quinta-feira)

19h: Drugstore cowboy (102 min)

21h: Os subterrâneos da noite (The subterraneans) (89 min)

29 de julho (sexta-feira)

19h: Häxan -A feitiçaria através dos tempos (Häxan) (76 min)

21h: Garota existencialista (Beat girl) (89 min)

30 de julho (sábado)

16h: Chappaqua – Almas entorpecidas (Chappaqua) (82 min)

31 de julho (domingo)

16h: Mistérios e paixões (Naked lunch) (115 min)

1º de agosto (segunda-feira)

18h: Na estrada (On the road) (137 min)

20h30: Próxima parada: bairro boêmio (Next stop: Greenwich Village) (111 min)