O tema de hoje tem o objetivo de lembrar a importância de estarmos atentos às mensagens que os livros, os filmes, os jogos, a programação da TV, transmitem às nossas crianças. Muitas dessas mensagens vão se tornar “verdades” na compreensão de mundo delas.

Para exemplificar, escolhi partilhar com vocês um dos meus filmes prediletos e que fez parte da minha infância: Pinóquio, produzido pelos estúdios Disney no ano de 1940, baseado no livro italiano As aventuras de Pinóquio, de Carlo Collodi ( 1826 – 1890).

A obra literária é bem diferente do filme, e é a respeito das ideias sobre ser artista/ator que são mencionadas pelos personagens, Pinóquio e Grilo Falante na adaptação para o cinema, que chamo a nossa atenção.

Nos primeiros 30 minutos de filme, temos o seguinte diálogo entre o Pinóquio e a raposa João Honesto:

“Pinóquio: – Eu vou indo para a escola.

João Honesto: – Escola?! Há sim, então ainda não ouviu falar do caminho fácil para o sucesso?!

Pinóquio: – Não!

João Honesto: – Não?! Eu estou falando menino do teatro!

– Tome sua maçã!

– Muitas luzes, música, aplausos, fama!

Pinóquio: – Fama?

João Honesto: – Sim! E com essa personalidade, esse perfil, este físico…Ora…Ele nasceu para ser ator!

Pinóquio: – Mas eu vou….

João Honesto:  – Direto para a glória!

– Já vejo seu nome iluminado em um letreiro de dois metros de altura. ”

Canção “Tralalalala Um grande ator serei”

https://www.youtube.com/watch?v=vagImTu0ivY

Depois temos mais duas frases:

  • – “Para que um ator precisa de consciência, afinal? ” (39 minutos)
  • – “Quero ser inteligente e não artista! ” (53 minutos)

A repetição destas informações, se não são contestadas ou refletidas, podem gerar uma percepção “torta”, preconceito, desvalorização da carreira profissional de um ator, de um artista. Todas as escolhas profissionais se beneficiam dos estudos e das escolas e para ser um artista de fama, de renome e de sucesso, muitos sacrifícios são feitos, muita leitura, pesquisa, ensaio, dedicação, mesmo que já haja pré-disposição de talento ou auxílio da sorte.

A falta de valor que existe sobre as profissões artísticas no Brasil não é de responsabilidade do filme, mas as falas escolhidas para os personagens, contribui para a continuidade dessa depreciação.

Por fim, a minha sugestão é para que saibamos dos conteúdos culturais e de lazer a que nossos filhos e crianças são expostos, assim podemos conduzir melhor a educação deles e suas formações. Bom filme e boa leitura!

Por Dayla Duarte

Equipe Marandubinha

Para quem desejar saber mais sobre a obra Pinóquio e suas mensagens, recomendo alguns links:

  • Pinóquio: do princípio do prazer ao princípio da realidade:

http://www.letras.ufrj.br/ciencialit/encontro/Alessandra%20Garrido%20Sotero%20UFRJ.doc.