E tu, que por acaso me dizia
que todo verso simples ou complexo
não se escreve em alegria.
Revirava os olhos pequeninos e sorria
ah, é de tristeza a poesia.
Pois te digo, pense um pouco, com destreza…
De que serve tanto tempo a escrever o amor,
se o amor se vive a cada dia?
É a sina do poeta, redescobrir na ausência da dor
a persistente beleza clara da poesia.