A compreensão do tempo mostra-se como o mais bonito retrato da própria liberdade. Ser livre é experimentar-se quantas vezes nos for necessário. O encontro, com sua própria verdade e com a capacidade de caminhar ao lado da verdade do outro, é um suspiro silencioso e suave. A compreensão do silêncio passa a ser fielmente carregada nos olhos daquele que a amou por um único instante. O silêncio, ou a compreensão do amor, é a verdade que nos consome a ingenuidade e não mais nos larga.