Para dar cmedia_foto-de-milena-vasconcelos-2ontinuidade ao trabalho de teatro, música e cultura popular nos palcos, a cia. Os Buriti apresenta seu novo espetáculo, Kalo – filhos do vento. A peça foi escrita e entregue de presente para a companhia por um dos mais antigos atores do Theatre Du Soleil, Maurice Durozier. A cultura cigana dá ritmo e cor ao espetáculo, que fica em cartaz gratuitamente no Centro Cultural Banco do Brasil durante todo o mês. A história conta a jornada da cigana Suki, uma contadora de histórias que quer salvar a memória do seu povo. Ela viaja entre tempo e espaço, real e imaginário, na companhia de Baxt, a sorte do povo cigano, um fantasma que a acompanha.

O espetáculo, para todas as idades, apresenta a jornada de Suki, uma cigana contadora de histórias que quer salvar a memória de seu povo. Baxt, a sorte do povo cigano, é um fantasma que a acompanha. Eles viajam juntos e transitam no tempo e espaço entre dois mundos: o real e o imaginário.

A trupe brasiliense mostra que a cultura popular continua viva no imaginário de adultos e crianças, podendo despertar sempre novas memórias e sensações. O presente do ator Maurice veio após um encontro com a atriz Naira Leão em uma oficina de teatro. O encontro entre os dois mundos aconteceu após a descoberta de que o trabalho em família permeava as criações de ambos os trabalhos, tanto dos Buriti, quanto do Theatre Du Soleil. “O nosso encontro aconteceu em 2011 durante uma oficina que ele ministrava no CCBB. Ele estava trabalhando com a temática cigana na época e nós trabalhamos muito com o improviso. Maurice determinava personagens e situações e nós criávamos em cima delas. Em um desses improvisos eu dancei no palco e ele logo me disse que o que eu fazia ali era dança cigana”, conta Naira Carneiro, que é atriz e diretora da peça ao lado de sua mãe, Eliana Carneiro.

O trabalho familiar chamou a atenção do artista, que entregou o texto para a brasiliense, junto com uma total liberdade de criação e invenções para o que seria montado a partir de então. Maurice Durozier criou o texto deKaloapós uma viagem feita em família, cumprindo a jornada cigana. “Acho que o fato dele ter visto que eu também trabalho em família, deve ter motivado ele a me entregar o texto. A gente trabalha em família desde pequenos, eu estou com a minha mãe em cena, já trabalhamos juntas há 20 anos. Mas nessa peça meu irmão, de 17 anos, está com a gente também, ele voltou a participar depois de muitos anos e isso é o mais especial”, declara a atriz. O clima familiar se estende para os bastidores, já que o cenário é montado pelo pai de Naira.

A mistura da cultura brasileira com a de outras partes do mundo também é uma característica da companhia, que prima pelo gesto e movimento com o objetivo principal de despertar a imaginação de crianças e adultos por meio de histórias baseadas na cultura popular. “Acho que o teatro e a arte podem fazer essa intersecção de culturas e linguagens. Essa peça trabalha muito com as histórias populares e se relaciona muito com o trabalho que fazemos na nossa companhia. Trabalhamos também com teatro de sombras nessa montagem e convidamos a Cia. Lumiato para ajudar nesta parte da criação”, conta Naira Carneiro. A montagem carrega as características já conhecidas da trupe, com figurinos e cenários vivos e cheios de cores, além da execução de músicas autorais e trilha sonora ao vivo. A mistura de linguagens e a conexão de diferentes culturas é o traço marcante da companhia, que promete encantar a todas as idades com a nova criação.

A Cia Os Buriti – Teatro de Dança foi criada em 1995 e se dedica a montar espetáculos para todas as idades fundindo diferentes linguagens artísticas. A tônica do trabalho da Cia Os Buriti é o gesto e o movimento. O intuito é despertar a imaginação de crianças e adultos por meio de histórias autorais baseadas na tradição popular de diferentes culturas. Os espetáculos unem a força da cadência narrativa a uma fisicalidade que rompe barreiras entre o teatro e a dança. A Cia tem a característica de pesquisar e de criar trilhas sonoras originais que são executadas ao vivo. Outra singularidade do grupo é a presença de mãe e filha em cena numa profunda sintonia gestual e vocal.


Serviço:

Kalo – Filhos do Vento, com a companhia de teatro Os Buriti, no Centro Cultural Banco do Brasil (CCBB). A peça acontece aos sábados e domingos, de 3 de setembro a 2 de outubro, sempre às 19h. O espetáculo tem duração de 60 min e entrada gratuita. Ingressos disponíveis para retirada 2 horas antes do espetáculo.


media_thiago_sabinodsc6445

Ficha Técnica

Texto: Maurice Durozier

Direção, Interpretação e Coreografias: Eliana Carneiro e Naira Carneiro

Músicos e Compositores: Daniel Pitanga, Jorge Brasil e André Togni

Sombrista: Guian Larrea

Cenografia: Marcelo Larrea

Assessoria em Teatro de Sombras: Soledad Garcia e Thiago Bresani

Figurinos: Eliana Carneiro

Ilustrações e Desenhos das Sombras: Eliana Carneiro

Desenho de Luz: Camilo Soudant

Assistente de Luz: Damião dos Santos

Técnico de Som: Victor Z

Assistente de Som: Felipe Resende

Cenotécnico: Celso Dourado

Costureiras: Zélia Dias (figurinos)

Confecção do material de sombras: Daniel Pitanga, Fernando Tamanini e Naira Carneiro

Tradução: Gizele Santos

Revisão: Luciana Martins

Assessoria de Imprensa: Tato Comunicação

Fotos de divulgação: Milena Vasconcelos e Thiago Sabino

Programação Visual: Nara Oliveira (Estúdio Gunga)

Produção Executiva: Guinada Produções

Direção de produção:Guinada Produções

Estagiárias: Gabriely Santos, Ana Reis, Sonara Silva, Sonara Morais.