“Eu entendi que preciso dar ferramentas ao público para experimentarem seu próprio eu. A única maneira para as pessoas entenderem mais a fundo o que é a performance, é embarcando em sua própria jornada pessoal”. É assim que a artista Sérvia, aos 70 anos, finaliza o filme Espaço além –Marina Abramovic e o Brasil, em que narra sua jornada espiritual pelo país. A importância deAbramovic para performers, artistas plásticos, artistas cênicos e para a arte, em todas as suas possibilidades, é consolidada, tendo transformado a artista em um dos nomes mais importantes de sua geração. A artista é hoje o principal expoente mundial da arte de performance. No documentário, é possível perceber que, tendo seus caminhos já trilhados, a performer demonstra preocupação com o seu legado, com o espaço que será trilhado por diversos artistas a partir do próprio caminho que traçou. A iniciativa de voltar ao país partiu da artista, que queria aprofundar sua pesquisa na espiritualidade brasileira.

Anelli_IMG_4109O Vale do amanhecer, em Planaltina; a Chapada dos Veadeiros e Alto Paraíso, em Goiás e a cidade de Abadiânia, foram alguns dos locais de poder escolhidos pela artista para vivenciar sua jornada espiritual. A viagem teve mais de seis mil quilômetros e foi documentada pelo diretor brasileiro Marco Del Fiol ao longo de todo seu percurso. O filme transporta o espectador para uma atmosfera imersiva, com características de diário pessoal, como se Abramovic contasse para a câmera suas experiências e descobertas ao longo dos dias, no lugar da escrita em seus diários de bordo. A travessia feita no centro do país integrou a primeira parte das viagens, que no total, aconteceram por três anos. “O Vale do amanhecer foi um dos lugares mais ritualísticos que passamos. A experiência é muito difícil de explicar, então optamos por fazer uma aproximação entre espiritual e performance, construímos sempre esse paralelo. É possível perceber que o que ela usa pra fazer a arte é sua própria vivência, ela é artista 24 horas por dia”, afirma o diretor do longa, Marco del Fiol.

A viagem seria para Marina, como bem coloca a artista ao longo do filme, um processo de cura em um momento turbulento na vida. “Eu senti uma necessidade pessoal de fazer essa jornada no Brasil, em uma época que passava por problemas pessoais e emocionais. Queria aprender com essas pessoas a canalizar a energia que vem de fora e de dentro de si mesmas, transformando e devolvendo isso para aquelas que não sabem fazer isso”, explica a atriz, depois das experiências vividas em Abadiânia – no centro liderado por João de Deus – e no Vale do amanhecer. O Vale foi indicação do próprio diretor do filme, que tendo morado em Brasília entre 1979 e 1985, já conhecia o local. “Eu achava aquilo muito forte e eu convidei ela a ir ao vale e ela pirou, achou aquilo demais. Nesses lugares que passamos na primeira parte da viagem o que mais se destaca é a experiência com grupos grandes, como se sustenta uma corrente de energia e a condução dessa energia entre tantas pessoas, ponto fundamental para o trabalho da artista.

back-to-simplicity

Ao longo do filme, que tem forte conexão com a força e as energias emanadas pela natureza, o espectador pode acompanhar de perto as descobertas da artista, que assiste a cirurgias físicas e espirituais, participa dos rituais e se coloca no centro de todas as movimentações. Marco Del Fiol conta que a preocupação, para a equipe, não estava naquilo que seria transmitido ao público, mas no entendimento dos rituais, das dinâmicas e nas próprias transformações de Abramovic. “Nós vamos sempre muito abertos ao novo para as filmagens e ao final do dia, a Marina, que já tem essa prática de fazer diários de viagem, dava seus depoimentos para a câmera, como um diário filmado”, conta o diretor. Del Fio destaca ainda que o objetivo era captar e mostrar todas as possibilidades dos nossos corpos: o físico, o espiritual e o emocional. Vale lembrar que a equipe de produção e filmagem, por estar junto de Abramovic em todos os momentos da jornada, aparece em diversos quadros do filme.

O trabalho performático de Abramovic objetiva expandir os limites físicos ao máximo. Suas obras passam pela transcendência da dor física, ponto levantado ao longo do filme, onde a performer afirma que a dor física, dominada por ela, é completamente diferente da dor emocional, que lhe causa problemas de verdade. Em sua jornada pelo Brasil a artista afirma ter descoberto o caminho de um de seus grandes fascínios: a conexão entre ritual e performance. Para ela, a ligação está na transformação, tanto no ritual quanto na performance, quanto mais forte for a tarefa executada, mais forte será essa mudança pessoal. Sendo assim, trabalhando um tema tão difícil de ser definido, a performance, o filme Espaço Além leva ao público as experiências vividas pela própria artista e lembra que, para cada ser humano, a única maneira para o entendimento completo do conceito é o embarque em sua própria jornada pessoal.

Trecho do filme Espaço Além

“Eu não gosto de religiões porque elas me remetem à instituições. Eu gosto da espiritualidade, que é completamente diferente. Eu escolho os elementos que melhor se encaixam nessa mistura, faço tudo dentro do contexto da arte. Nós não precisamos de arte na natureza, ela já é perfeita sem nós. Precisamos de arte nas cidades, onde os seres humanos não têm nenhum tempo. Nas cidades poluídas, com muito barulho. Nós temos que extrair experiências da natureza e trazer para as cidades. Eu sempre acreditei que a arte atua como uma ponte, para conectar pessoas de diferentes crenças, classes sociais e raças. Mas também se trata da comunicação entre o mundo físico e o espiritual. Ou simplesmente entre dois seres humanos.” (Por Marina Abramovic)

Marina Abramovic The Past, The Present,The Future of Performance Art

Marina Abramovic The Past, The Present,The Future of Performance Art

 

Serviço

Espaço Além – Marina Abramović e o Brasil, teve sua estreia nos cinemas no dia 19 de maio, incluindo Brasília, no Espaço Itaú de cinema e Cine cultura, no Liberty Mall.

Não deixe de assistir!

Confira  o trailer oficinal do filme Espaço Além e do vídeo e trailer de um de seus trabalhos mais conhecidos: The artist is present (o artista está presente), realizado no MoMA, em 2010.

Trailer: https://www.youtube.com/watch?v=4ijyJVLcJhc

Performance no MoMA: https://www.youtube.com/watch?v=OS0Tg0IjCp4

Trailer do trabalho The artist is present: https://www.youtube.com/watch?v=YcmcEZxdlv4

 

Matéria originalmente escrita por mim e publicada no jornal Correio Braziliense, confira um trecho no site: http://www.correiobraziliense.com.br/app/noticia/diversao-e-arte/2016/05/22/interna_diversao_arte,532903/consagrada-marina-abramovic-vive-nova-fase-apos-passagem-pelo-brasil.shtml